Rio de Onor

Situada no concelho de Bragança, abrangida pelo Parque Natural de Montesinho e pela Zona de Proteção da Rede Natura 2000, Rio de Onor é uma aldeia raiana de casas típicas de xisto, cujo nome faz referência ao rio que a atravessa. Divide o território com a sua homónima espanhola, Rihonor de Castilla, e do seu convívio nasceu um dialeto típico: o rionorês

No ano de 1950 contava com 398 habitantes, número que em 2011 se fixou nos 76 habitantes. 

A população tem como principais atividades a agricultura e a pastorícia, dedicando-se também ao trabalho do linho e à produção de carvão para venda. O contrabando de e para Espanha, sobretudo de café, teve expressão assinalável.

A atividade económica e social de Rio de Onor regeu-se desde tempos remotos por um sistema comunitário, que de alguma forma prevalece nos dias de hoje: os seus habitantes partilhavam os campos, o trabalho, o gado e o moinho. As festas e os bailes eram também vividos em comunidade. A tomada de decisões na aldeia ficava a cargo dos mordomos, nomeados pelo Conselho, assembleia que reunia os representantes de todas a famílias. A Vara da Justiça fazia as vezes do tribunal, garantindo o cumprimento das regras e a aplicação de multas, pagas em géneros.