Porfírio Amaro

Porfírio Amaro nasceu em Mata de Lobos, filho de um guarda-rios da região. Conhecia os trilhos e percursos que contrabandistas e guardas-fiscais usavam nas suas atividades, referindo que um dos principais pontos de passagem era em Escarigo, por ser muito fácil a travessia. Refere ainda que a maioria do tráfico que se fazia era essencialmente de caracter doméstico, destacando que na década de 1980 o gado proveniente de Espanha passou a ser o produto mais transacionado. Refere também que os moinhos que se encontravam nas margens do rio eram locais de referência de passagem e de armazenamento temporário dos fardos. Foi viver para Lisboa aos 18 anos, trabalhando no Ministério do Ultramar, na receção aos retornados. Regressou à sua aldeia com a reforma, onde exerce o cargo de Presidente da Junta.

00:00 – Caracterização demográfica da aldeia

02:07 – Caracterização da atividade profissional do pai

03:10 – Contexto familiar

03:49 – Caracterização da atividade agrícola da aldeia

04:19 – Percurso académico

05:48 – Mudança para Lisboa

06:18 – Funções dentro do Ministério do Ultramar

08:16 – Caracterização do contrabando “comercial”

09:54 – Caracterização do contrabando “doméstico”

11:03 – Idas a Espanha e realização de contrabando

12:08 – Funcionamento da rede de distribuição do contrabando

13:11 – Moinhos enquanto pontos de troca de contrabando

14:12 – Trocas comerciais entre Portugal e Espanha

15:53 – Identificação de alguns dos caminhos usados pelos contrabandistas

17:08 – Abuso de autoridade pela Guarda Fiscal

19:12 – Posto da Guarda Fiscal de Mata de Lobos

20:30 – Contrabando de gado

21:30 – Caracterização da produção agrícola da aldeia

22:32 – Produtos adquiridos em Espanha

23:06 – Condições de vida na aldeia

26:31 – Relação com a adeia