Paulo Correia de Sá

Paulo Correia de Sá é natural de Sanfins, Santa Maria da Feira, onde ainda hoje vive. Aos 9 anos começou a estudar na Escola Industrial de São João da Madeira e, aos 14 anos, começou a trabalhar na Oliva, por recomendação de um professor, que recorda com grande estima.
A sua primeira colocação foi no sector de compras, em 1970, passando, mais tarde, a agente de compras. Acompanhou várias alterações na empresa, a partir da compra pela ITT e o abandono da produção de máquinas de costura, que considera ter iniciado o declínio financeiro. Considera que, para tal, também contribuiu muito a agitação laboral que seguiu a Revolução de 25 de abril de 1974 e a aquisição pela Grou e a priorização da produção de torneiras.
Em 1985 saiu da Oliva, devido às dificuldades financeiras e à inconsistência de pagamentos, embora tenha tomado a decisão com muito pesar. Assim, começou a trabalhar na indústria do calçado, na recém inaugurada fábrica da Ecco. A atividade não lhe foi estranha, uma vez que o seu pai era sapateiro.
Refere que a Oliva era uma das maiores empresas nacionais, sendo uma referência e um motivo de prestígio para os seus funcionários. Além disso, a empresa oferecia remunerações acima da média, bem como um sistema de suporte muito forte aos seus funcionários, que incluía um posto médico, equipas de desporto e uma casa de pessoal muito proactiva, que também apoiava a família dos funcionários.

0:00 – Informação biográfica
0:31 – Escola Industrial
2:08 – Entrada na Oliva
4:48 – Primeiras funções na Oliva
5:35 – Sector de compras
6:06 – Dificuldades financeiras da Oliva
6:43 – 25 de Abril de 1974
9:00 – Saída da Oliva
9:20 – Remuneração
9:34 – Sector de compras
14:16 – Durabilidade dos produtos Oliva
15:04 – Gestão de stocks e da sucata
17:08 – Dificuldades financeiras da Oliva
18:45 – Mudança para a Ecco
20:53 – Funções na Ecco
22:22 – Trabalhadores
22:44 – Mercados da Ecco
23:17 – Estrutura da Ecco
24:45 – Comparação com a Oliva e o restante sector do calçado
26:31 – Força de trabalho nacional
28:30 – Regalias e estruturas de apoio aos funcionários da Oliva
30:37 – Relação com as chefias
32:34 – Aprendizagens na Oliva
34:08 – Mulheres na força de trabalho
35:13 – Saída da Oliva
36:31 – Pais
36:54 – Perigos para os funcionários e doenças profissionais
39:09 – Declínio da Oliva
40:14 – Retrospetiva e colegas