Natália Gomes

Natália Rosa Gomes é natural de Paradela, tal como a sua família. Viveu na aldeia até à altura em que saiu para vários locais no país, quando as filhas eram pequenas. Estudou até à então 4ª classe, saindo, depois, para trabalhar na agricultura. O pai emigrou para França, onde ficou por 4 anos. Recorda as diferenças no quotidiano, com o grande volume de trabalho, principalmente para as mulheres. Em sua casa sempre se mataram porcos, anualmente, e sempre fizeram fumeiro, prática que mantém.

0:00 – Nascimento

0:12 – Habitação

1:17 – Escola

1:24 – Agricultura

1:41 – Emigração

1:59 – Infância

2:28 – Emigração

2:34 – Casamento

2:51 – Trabalho na aldeia

3:11 – Alimentação

3:19 – Lavagem de roupa e loiça

3:47 – Trabalho feminino

3:57 – Animais

4:12 – Azeite

4:36 – Contrabando

4:40 – Emigração a salto

5:00 – Alimentação

5:48 – Saída de Paradela

6:32 – Vida no Porto

6:45 – Mudanças na aldeia

7:50 – Festas tradicionais

7:58 – Mudanças no convívio social

8:27 – Festas tradicionais

8:56 – Danças e músicas tradicionais

10:06 – Carnaval

10:45 – Alimentação

10:53 – Vestido de noiva

11:03 – Tecelagem e fiação

13:14 – Deslocações

13:26 – Contrabando

13:41 – Mirandês

13:57 – Adubos e estrume

14:42 – Lenha

15:01 – Caça e pesca

15:41 – Porto

16:17 – Ligação à aldeia

16:42 – Ligação aos animais

17:20 – Visita das filhas