Marina Ximenes

Marina Ximenes nasceu em 1953, em Caldas da Rainha. Por motivos profissionais, os pais viveram ano e meio em Arcos de Valdevez, onde nasceu o seu irmão Edgar.
Entre 1956 e 1970 viveu em Torres Novas, onde estudou até aos 17 anos. Entre 1970 e 1974, frequentou a Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, abraçando as lutas académicas.
De 1974 a 1975, estudou em Viena e viveu em Bruxelas de 1975 a 1980, onde estudou e obteve o diploma de turismo. Regressou às Caldas da Rainha em 1980.
Recorda as barracas, que os primos e os pais alugavam na Lagoa de Óbidos e na praia da Foz do Arelho, bem como a prática de ski aquático.
Relata as caldeiradas feitas com peixe apanhado à fateixa nas margens da Lagoa, como as tainhas e as enguias. Recorda o método de preparação desse prato local e como se colocavam os ingredientes na panela, que ia ao fogo no chão.
A família veio viver definitivamente para as Caldas em 1973. A Marina regressava à cidade natal na época de férias.
Em 1980, casou e tem dois filhos que cresceram a brincar na praia e nas margens da Lagoa o ano inteiro. Com a família, frequentava as instalações do INATEL.
Relata as alterações nas margens da Lagoa, principalmente pela pressão da construção civil.
Lamenta a extinção de espécies da Lagoa, bem como do esgotamento de limos nas margens. Lamenta a eutrofização progressiva desta zona lacunar.

0:00 – Informação biográfica

0:15 – Regresso às Caldas da Rainha

0:46 – Férias na Foz do Arelho

1:41 – Som do mar

1:57 – INATEL

2:36 – Pesca e espécies

3:05 – Barracas e ski aquático

3:52 – Gastronomia

4:05 – Recordações de infância

5:16 – Caldeiradas

6:28 – Educação em Coimbra

6:37 – Emigração

7:30 – Casamento e reingresso na Universidade

7:48 – Relação com a Foz do Arelho

9:12 – Democratização da praia

9:26 – Alterações nas margens da Lagoa

10:22 – Assoreamento da Lagoa

12:20 – Preservação

12:35 – Conselho da Cidade

14:12 – Aberta da Lagoa

14:55 – Extinção de espécies e limos

16:04 – Assoreamento

16:15 – Procissões e festas