Maria Rosa Vicente

Maria Rosa Vicente nasceu em Paradela, onde vive. Concluiu a então 3ª classe na escola da aldeia. Com 20 anos emigrou para França, onde trabalhou durante 10 anos, em limpezas. Casou durante esses anos. Voltando a Portugal, passou a viver da agricultura. Recorda o processo de fabrico de tecido de burel. Relata as festas tradicionais da aldeia, principalmente a de São Sebastião, e a confecção dos bolos “Roscos”. Tem muitas memórias do contrabando em Paradela, principalmente de café. Apesar de nunca ter participado nesse tipo de comércio, o seu marido foi muitas vezes a Espanha, chegando a ter problemas com os carabineiros.

0:00 – Informação biográfica

0:13 – Infância

0:44 – Agricultura

0:52 – Matança do porco

1:02 – Infância

1:23 – Escola

1:28 – Emigração

1:45 – Regresso a Portugal

2:07 – Lã e tecidos

3:07 – Alimentação

3:52 – Festas da aldeia

5:39 – Procissão

8:39 – Cereais e moagem

10:05 – Condições de trabalho

10:24 – Fertilizantes

10:47 – Contrabando

12:47 – Espanhóis

13:48 – Carabineiros

14:34 – Minas de estanho

15:46 – Alimentação

16:37 – Relação com a aldeia