Maria José Pinho

Maria José Pinho (n. 1935) é natural de Pindelo. Começou a trabalhar aos 10 anos, a servir numa casa e, depois, passou a trabalhar na Cortadoria Nacional do Pêlo, ainda nas instalações antigas.

Recorda a produção manual e suportada no trabalho caseiro, bem como o primeiro laboratório da fábrica, onde era responsável pela preparação dos ácidos para tratamento do pêlo.

Devido ao contacto constante com ácidos, começou a ter problemas de saúde, passando para o sector do corte mecânico.

Assistiu à inauguração da nova fábrica, considerando que esta foi uma mudança muito positiva.

Considera que a Revolução de 25 de Abril de 1974 foi muito positiva, no sentido em que toda a produção foi modernizada e as condições de trabalho melhoradas.

Elogia a relação entre trabalhadores e com as chefias.

0:00 – Informação biográfica

0:48 – Início da vida laboral

1:47 – Instalações antigas da fábrica

3:00 – Produção manual

3:35 – Primeiro laboratório

4:10 – Composição de ácidos

5:25 – Condições de trabalho

7:04 – Trabalho com ácidos

8:49 – Preparação do pêlo e etapas de produção

10:11 – Qualidades de pêlo

12:17 – Melhoria das condições de trabalho

13:52 – Reforma

14:10 – Inauguração da nova fábrica

14:56 – Melhoria das condições de trabalho

15:58 – FEPSA e exportação

16:12 – Engenheiro Guedes de Carvalho

17:32 – Relação com os patrões

18:47 – Retrospectiva de carreira

19:29 – Vantagens da nova fábrica