Maria do Rosário Ferreira

Maria do Rosário Ferreira é natural de Talhas, de onde nunca saiu, com exceção das visitas que faz aos filhos, emigrados em França e na Suíça. É filha de pais separados, algo raro na época, e na aldeia. O pai emigrou para o Brasil, onde se fixou. Recorda o trabalho árduo da mãe, para sustentar os três filhos. Ainda jovem, começou a trabalhar à jeira, com a mãe, principalmente como lavadeira. Uma das irmãs emigrou para Espanha. Não frequentou a escola, uma vez que o ensino primário não era obrigatório. Recorda a casa onde cresceu, onde eram feitos serões na aldeia. Fez muitos trabalhos de tecelagem, ensinada pela comadre. Participava, também, no fabrico de linho, relembrando todo o processo de produção.

0:00 – Ligação à aldeia

0:33 – Nascimento

0:47 – Pai

1:12 – Mãe

1:42 – Trabalho

2:33 – Escola

2:58 – Trabalho das lavadeiras

3:19 – Processo de “barrelas” (lavagem de roupa)

3:51 – Animais

4:11 – Melhoria das condições de vida

4:30 – Alimentação

5:19 – Habitação

6:13 – Moagem

7:09 – Agricultura

7:30 – Herbicida na água

8:15 – Agricultura e gado

9:34 – Filhos

10:13 – Emigração dos filhos (Suíça)

12:05 – Irmã

12:51 – Trabalho como lavadeira

13:35 – Agricultura

14:04 – Tecelagem

15:24 – Processo de fabrico de linho

19:36 – Contrabando

19:52 – Criação de animais

20:32 – Matança do porco e gastronomia

21:43 – Fabrico de enchidos

23:56 – Fabrico de queijo

25:11 – Azeite e vinho

25:57 – Eletrificação

27:15 – Marmelada

28:24 – Ligação à aldeia