Marco António Tomás

Marco Tomás é natural das Caldas da Rainha, mas sempre viveu no Arelho. Tem interesse pela etnografia e história local, o que motivou a recolha de informação sobre a Lagoa de Óbidos. Tem uma preocupação activa na recolha e preservação das memórias e das tradições da área. É secretário da Junta de Freguesia e director do Rancho Folclórico do Arelho. No entanto, toda a sua família tem uma relação lúdica com a Lagoa, desde sempre, através da pesca, da apanha de marisco, das festas e dos convívios com a população. Relata a tradição da apanha de enguias na Sexta-Feira Santa, que ainda hoje é praticada. Porém, tanto as margens como o leito da Lagoa tem sofrido alterações profundas, devido à poluição e à pressão da construção civil. Afirma que tal tem posto em causa o ecossistema próprio da Lagoa. Considera que a proibição de algumas artes de pesca não eliminaram, na totalidade, a prática das mesmas, havendo algum revivalismo na população.

0:00 – Informação biográfica

0:19 – Relação com a Lagoa de Óbidos

0:54 – História familiar

1:26 – Actividades económicas

2:00 – Lazer e pesca de enguias

4:06 – Agricultura

5:06 – Pesca (na família)

5:38 – Limos

6:48 – Agricultura

8:32 – Ligação à Lagoa de Óbidos

9:33 – Família Silva

10:55 – Trabalho dos pais

13:13 – Ligação à Lagoa

14:04 – Escassez de espécies

15:12 – Preservação de memórias

16:16 – Preservação da natureza e alterações

18:21 – Pesca intensiva

20:22 – Importância da Lagoa

22:22 – Gastronomia

26:30 – Ecossistema e classificação da área

27:15 – Educação

27:37 – Preservação de memórias

29:09 – Junta de Freguesia

29:29 – Preservação de memórias

34:05 – Grupo para a preservação de memórias e tradição

42:24 – Migrações