Manuel Jesus Francisco da Rocha

Manuel Jesus Francisco da Rocha (n. 1942). Natural de Romariz. Trabalhou toda a vida na agricultura, bem como os seus pais. A sua família esteve sempre ligada à agricultura e à serração. Recorda-se de ir com o pai buscar à Cortadoria Nacional de Pêlo patas e orelhas de coelho para produzir adubo para as terras (as chamadas “empilhas”), e de, mais tarde, ir levar “serrim com cascas” para as caldeiras da Cortadoria Nacional de Pêlo. Conta que chegou a levar um grande carregamento de batatas, da sua produção, para a cantina da Oliva. Refere-se a uma fábrica que fez chapéus para a polícia britânica. Considera que a criação da Cortadoria Nacional de Pêlo foi importante para São João da Madeira, bem como as suas indústrias. Como prova, conta como o pai, quando esteve na Argentina, colheu testemunhos sobre como São João da Madeira era conhecida pelo seu calçado e pelos seus chapéus.

0:00 – Relação familiar com a agricultura

0:24 – Paisagem agrícola de São João da Madeira

2:08 – Mercado Municipal

2:39 – Serviço militar

4:09 – Memória sobre a construção da ponte Salazar / 25 de abril

5:07 – Relação com a CNP

10:53 – Relação familiar com agricultura e serração

11:32 – Uso do chapéu

14:53 – Indústria de chapelaria

17:30 – Informação biográfica

18:55 – Oliva

20:49 – Escolaridade e formação profissional

23:46 – Panorama da agricultura no presente

25:00 – Percurso profissional

25:59 – Criação de coelhos

29:13 – Feiras da agricultura

30:40 – Importância da CNP para São João da Madeira

32:00 – Emigração de familiares

33:48 – Importância das indústrias de São João da Madeira

36:32 – Indústria do calçado