Luís Sales e Ilídio Ubaldo

Luís da Glória Sales e Ilídio dos Santos Ubaldo são ambos naturais de Bemposta.
Luís frequentou a escola primária da escola, mas só terminou a 4ª classe mais tarde, em aulas noturnas.
Na aldeia teve vários ofícios, mas trabalhou, principalmente, na pedreira. Também pescava no Rio Douro, para rendimento. Relata a diminuição da quantidade de peixe e de espécies no rio.
Emigrou, durante um ano, para França, onde já vivia alguma família sua. Trabalhou numa fábrica de fiação. Passou a fronteira a salto.
Ilídio perdeu o pai aos 9 anos de idade, tendo de cuidar das cabeças de gado e dos campos agrícolas que o pai deixara. Em 1961 foi mobilizado para uma das primeiras campanhas da Guerra Colonial, mas não chegou a cumprir campanha, uma vez que conseguiu trocar a mobilização com outro soldado.
Trabalhou na construção da Barragem da Bemposta, considerando que, do ponto de vista do emprego, foi muito positiva para a aldeia.
Já casado emigrou para França. Trabalhou numa fábrica de anilhas para saneamento. Não estando contente com a vida em França, emigrou, com a mulher, para a Alemanha. Trabalhou numa fábrica de têxteis, durante 13 anos. Durante os anos emigrado construiu a casa onde vive atualmente. Quando regressou para Portugal, mudou-se diretamente para a aldeia.
Considera que, ao longo dos anos, a aldeia desenvolveu-se muito.

Luís – 0:00 – Informação biográfica

0:38 – Escola

1:12 – Agricultura

1:36 – Habitação

2:22 – Emigração

3:03 – Trabalho

3:45 – Relação com Espanha

4:33 – Pesca

8:38 – Emigração

11:42 – Regresso a Portugal

11:50 – Filhos

Ilídio – 12:31 – Informação biográfica

12:45 – Família

13:03 – Gado

13:18 – Trabalho

13:28 – Alimentação

14:34 – Trabalho

14:50 – Pastorícia

15:27 – Leite

16:26 – Serviço Militar

19:54 – Casamento e filhos

20:43 – Construção da Barragem da Bemposta

22:06 – Emigração

22:30 – Passagem da fronteira

23:17 – Trabalho em França

24:22 – Mudança para a Alemanha

29:45 – Condições de vida

30:10 – Vida na Alemanha