José Parra

José Parra nasceu em Bemposta em 1954. Atravessou pela primeira vez o rio com cinco anos, mas só aos 13 transportou mercadoria. Aos 14 anos ganhou a alcunha de “O Fugitivo” – foi apanhado pela Guarda Fiscal numa dessas viagens e andou a monte durante alguns dias. Fez contrabando de mercadorias e de pessoas. Passava o rio numa jangada, primeiro num sistema de cordas e câmaras de ar, e mais tarde numa jangada mais elaborada e resistente. Chegou a passar a fronteira 4 a 5 vezes num só dia, levando pessoas que pretendiam passar a fronteira “a salto”, para emigrarem. Deixou de transportar mercadorias aos 17 anos, passando a dedicar-se à pesca de rio, atividade que desenvolvia com a mulher. Esteve ainda em Madrid a trabalhar durante 20 anos.

00:18 – Sistema de passagem com cordas

01:58 – Sistema de passagem com câmaras de ar

02:59 – Produtos contrabandeados

03:31 – Fugas à Guarda Fiscal

09:25 – Contexto familiar

10:26 – Trabalho temporário em Espanha – 1ª passagem da fronteira

11:32 – Passagens realizadas com o irmão

12:25 – Atividades agrícolas

12:50 – Passadores – formas de organização, comunicação da passagem a salto

14:42 – Passagem do rio – episódios

16:07 – Passagem do rio – principais locais e dificuldades

18:03 – Produtos contrabandeados

18:21 – Formas de transporte dos produtos

20:35 – Transações com os comerciantes portugueses e espanhóis

21:28 – Produtos contrabandeados

22:48 – Principal percurso utilizado – Caminho do Vilar

25:38 – Alcunha “O Fugitivo”

26:13 – Confronto com a Guarda Fiscal

27:54 – Período de atividade

28:47 – Pesca no rio

32:37 – Emigração em Espanha

35:12 – Construção da barragem da Bemposta

35:30 – Festas na região

37:13 – Acidentes na passagem do rio

39:00 – Sistema de passagem com cordas e câmaras de ar

42:25 – Pagamentos

43:33 – Vida de contrabandista

44:44 – Confrontos com os Carabineros