Joaquim Azevedo

Joaquim Moreira Azevedo é natural de Santa Maria da Feira e começou a trabalhar na Oliva com 22 anos, ao terminar o serviço militar. Tendo inicialmente trabalhado na Montagem de máquinas de costura, passou, depois, para o sector Eletromecânico, que respondia à sua especialização. Trabalhou, também, na reparação de telefones e dos relógios de ponto. Assim, percorreu e conheceu toda a fábrica, não tendo um posto de trabalho fixo.
Relata que a empresa mudou muito na altura em que se iniciou a produção de torneiras que levou ao progressivo abandono das máquinas de costura. Recorda as convulsões laborais, principalmente greves, que se viveram na empresa após a Revolução de 25 de abril de 1974 nas quais, no entanto, nunca se envolveu.
Estabeleceu-se como agente da marca, revendendo todos os tipos de produtos, principalmente da Oliva Comercial, como eletrodomésticos. Descreve a Oliva como uma boa empregadora, que remunerava os funcionários acima da média das empresas da zona. Além disso, enumera benefícios dados aos trabalhadores, como um teatro, um posto médico e uma cooperativa de consumo.
Apesar de os seus irmãos terem emigrado para o Brasil, Joaquim nunca pensou em sair do país.

0:00 – Informação biográfica
0:13 – Entrada na Oliva
0:20 – Família
0:28 – Emigração
1:03 – Entrada na Oliva
1:35 – Trabalho no sector Eletromecânico
2:45 – Trabalho como agente
3:05 – 25 de abril de 1974
3:13 – Lutas laborais
4:20 – Problemas de gestão da empresa
4:42 – Incumprimento de salários
4:52 – Trabalho como agente
5:36 – Remuneração e benefícios
6:05 – Teatro da Oliva
7:31 – Festa de Natal
7:44 – Importância da Oliva
8:14 – Declínio da Oliva
8:35 – Saída da Oliva

Funcionários da Oliva, no sector das fundições, junto dos fornos de indução elétricos. Na fotografia estão: Domingos (eletricista), José Russo (eletricista), Ramalho (encarregado dos eletricistas), Sousa e Silva (técnico), Luís Machado (chefe da serralharia), Aires Lopes (agente técnico/arquitecto), Joaquim Azevedo (eletricista), Jorge Melo (agente técnico), Ferreira (eletricista), Moreira de Sousa (chefe de sector – Fundições)