João Manuel de Sousa

José Manuel de Sousa trabalhou na agricultura com todos os irmãos até aos 21 anos, começando a trabalhar na Fábrica da Oliva aos 24 anos, quando cumpriu o Serviço Militar. Uma das suas irmãs também trabalhou em São João da Madeira, na indústria do calçado. Trabalhou sempre no sector metalo-mecânico da fábrica, como condutor de máquinas empilhadoras, até ao início dos problemas financeiros que afetaram a empresa, altura em que se mudou para a fábrica da Proleite.
Já na Proleite, trabalhou como condutor de mercadorias, concretamente na recolha de leite junto dos produtores. Acompanhou as mudanças e a modernização do sector, principalmente por influências das normas comunitárias, a partir da década de 1990.
Considera que estas normas foram um grande contributo para o controlo e a garantia de qualidade dos lacticínios.
Descreve o quotidiano de trabalho e recorda as melhorias laborais que a Revolução de 25 de Abril de 1974 trouxe aos trabalhadores.

0:00 – Informação biográfica
0:15 – Família
1:44 – Entrada na fábrica da Oliva
1:50 – Casamento
2:11 – Trabalho da mulher
2:55 – Habitação
3:11 – Serviço militar
3:41 – Entrada na fábrica da Oliva
4:43 – Fabrico de Tubos
5:00 – Dificuldades financeiras da Oliva e compra pela ITT
7:17 – Modernização da fábrica
7:25 – Radiadores a óleo
7:51 – Linhas de fabrico
9:33 – Horário e turnos de trabalho
10:40 – Trabalho
11:44 – Objetivos de trabalho
12:25 – Máquinas
12:56 – Instalações da fábrica
13:24 – Instrumentos e máquinas
15:08 – Relação entre colegas e com a empresa
15:42 – Proleite
15:50 – Dificuldades financeiras da Oliva e mudança para a Proleite
18:15 – Proleite/Lactogal
19:11 – Camionagem
20:15 – Mudanças na produção de leite
21:16 – Controlo de qualidade
22:15 – Modernização da fábrica
24:01 – Formação
24:32 – Modernização da fábrica
25:21 – Frota empresarial
26:02 – Viagens
26:28 – Agricultura
26:51 – Trabalho de pedreiro
27:08 – Trabalho na Proleite