Francisco José Calado

Francisco José Calado (n.1942) viveu sempre na Quinta da Foz, o maior e mais antigo morgadio da zona da Foz do Arelho, constituído em 1580. O morgadio sempre manteve uma relação próxima com a Lagoa de Óbidos e a sua população, contacto personificado pela imagem de Nª Srª de Guadalupe na Capela do mesmo. Para além disso, as terras eram cultivadas pelos locais, na condição de pagamento de rendas. Recorda as alterações nas margens da Lagoa, concretamente a diminuição do seu leito, bem como as actividades dos locais na mesma, como a pesca a candeio, na qual chegou a participar, e a apanha de marisco. Relata a diminuição da quantidade de peixe e marisco na Lagoa e as corridas de cavalos nas Caldas da Rainha. Tem memórias da presença de Francisco de Almeida Grandella na zona, através dos relatos do avô. Considera que a implantação da República teve um enorme impacto na zona em geral, e no morgadio, em particular, por alterar os mecanismos de propriedade.

0:00 – Informação biográfica

0:41 – Morgadio

3:35 – D. Sebastião I na Quinta da Foz

4:34 – Nª Srª de Guadalupe

6:27 – Constituição do morgadio

6:38 – Crescimento do morgadio

7:19 – Exploração das terras

9:04 – Margens da Lagoa

10:11 – Relação da população com a Lagoa

11:18 – Recolha de limos

11:36 – Praia

12:11 – Padarias

13:01 – Alterações na construção

13:33 – Alterações na pesca e nas espécies disponíveis

14:26 – Corrida de cavalos das Caldas da Rainha

15:01 – Francisco de Almeida Grandella

17:54 – Impacto da implantação da República

19:19 – Transformações na zona

19:52 – Transformações e futuro da Lagoa

21:26 – Dragagens

21:44 – Alterações climáticas

22:25 – Espécies de aves

22:47 – Flora

23:27 – Raposas

23:58 – Protecção da Lagoa

24:52 – D. Carlos