Francisco Antunes

Francisco António Baltazar Antunes, pescador, natural da Lagoa de Óbidos, fala sobre os tempos de pesca, as dificuldades e modos de ofício pelos quais passara desde a infância. Lembra as principais mudanças que sofrerá a Lagoa, e regiões periféricas desde da “apanha” da diversa vida marítima à sua venda. E retrata de que jeito a comunidade iria mudar com as estas alterações, pelo homem exercidas e naturais da Lagoa. Francisco imigra para os Estados Unidos e em seguida para o Canadá, lembrando isso explica o porquê do regresso rápido às Caldas da Rainha e à pesca na região.

00:00 – A Pesca na Lagoa

00:57 – A gastronomia da região

01:19 – Pesca da Enguia

02:00 – Os caminhos pela Lagoa

03:00 – A alimentação durante o trabalho

03:15 – As dificuldades do ofício

04:19 – O fecho natural da Lagoa

05:08 – Tempos de maré vazia

06:00 – A entreajuda da população na pesca

06:23 – As salinas

06:58 – A chegada das máquinas de trabalho

07:27 – Tentativa de ida para a América

08:20 – Governo de Marcello Caetano, os passaportes de viagem

09:00 – Ida para o Canadá

10:30 – As dificuldades económicas

11:35 – Produção agrícola

12:40 – As zonas de pesca na Lagoa

13:50 – O desaparecimento de vida marítima

14:45 – A “apanha” do choco e do polvo

16:16 – A “apanha” da amêijoa e do berbigão

18:25 – Tipos de Enguia pescada

18:43 – A pesca de camarão

19:07 – A “apanha” do Limo

20:06 – Vinda de outras populações

20:51 – As mudanças na Lagoa

22:20 – O cuidado dos afluentes da Lagoa