Fernando Portela

Fernando Maia Portela é natural de São João da Madeira. A sua família é natural de Santa Maria da Feira.
O pai de Fernando trabalhou em várias fábricas de São João da Madeira, passando a maior parte da vida profissional na fábrica da Oliva.
Fernando estudou na Escola Industrial e, em 1971, também começou a trabalhar na fábrica da Oliva, tal como muitos dos seus colegas da Escola. Recorda que a Oliva era considerada uma boa empresa, onde muitos queriam trabalhar.
Tem memórias da Revolução de 25 de Abril de 1974 e do movimento sindical e de comissões de trabalhadores que se seguiu. Refere que, graças à Revolução, o seu salário duplicou e as condições de trabalho na fábrica sofreram profundas melhorias.
Recorda a modernização industrial que resultou dos fundos comunitários, a partir de 1986, que resultou na melhoria das condições de trabalho. Acompanhou os momentos difíceis da empresa, lamentando a sua falência, em 2010.
Refere a amizade que se vivia entre os trabalhadores da fábrica e o companheirismo durante os turnos de trabalho e as atividades desportivas extra-laborais.

0:00 – Informação biográfica
0:14 – Pai e trabalho na Oliva
1:12 – Início da vida laboral
1:31 – Formação e aprendizagem
1:45 – Remuneração
2:01 – Entrada na Oliva
2:31 – Secção de pintura
2:53 – Coliva
3:30 – Formação e aprendizagem
4:05 – Modernização e máquinas
5:05 – 25 de Abril de 1974 e alterações laborais
5:24 – Contestação laboral
6:16 – Abastecimento de matéria-prima
6:55 – Modernização – fundos comunitários
7:48 – Processo de declínio da Oliva
7:59 – Relação com os colegas
8:50 – Trabalho de encarregado
9:02 – Escoamento de produção e gestão de stock
9:37 – Processos de declínio e falência
11:59 – Retrospetiva
12:36 – Regalias e estruturas de apoio e recreio