Eurico Pinho Ferreira

Eurico Pinho Ferreira é natural de Cucujães, Oliveira de Azeméis, e vive em Ovar.
O seu pai trabalhou na Empresa Industrial de Chapelaria, como encarregado. Formou-se na Escola Industrial de São João da Madeira começando a trabalhar, ainda como estagiário, na Oliva. Recorda o primeiro vencimento, de 1001 escudos. Explica que escolheu a Oliva para estagiar pela grande variedade de produtos produzidos, a par da proximidade das instalações, uma vez que tinha de ir a pé de e para casa. Começou pela secção de ferramentas, na Mecânica Geral, e, por ter talento para o desenho, passou para a Sala de Desenho, onde ficou até sair da empresa.
Lutou na Guerra Colonial entre 1967 e 1969 e, em 1970, voltou para o seu cargo na Oliva. Trabalhou no sector de motores de combustão, na produção para a Villiers, na tradução dos desenhos de inglês para português e no desenho de novas ferramentas.
Em 1972 mudou de empresa, para a Progresso, que lhe ofereceu melhores condições remuneratórias. Manteve-se no sector metalo-mecânico, até se mudar, na década de 1980, para a Silase, em São João da Madeira.
Em 2008 reformou-se, embora tenha continuado a trabalhar autonomamente.
Recorda as várias viagens que fez nas diferentes empresas, com o objetivo de aprender métodos e processos em feiras industriais do sector metalúrgico.
Refere que, em todas as fábricas em que trabalhou, havia boa relação entre os trabalhadores e aprendizagem dos empregados mais novos com os mais velhos.

0:00 – Informação biográfica
0:16 – Educação
0:21 – Estágio e entrada na Oliva
1:36 – Serviço Militar e Guerra Colonial
1:48 – Regresso a Portugal e à Oliva
2:03 – Secção de motores – Villiers
4:27 – Mudança para a Progresso
6:06 – Mudança para a Philips
6:37 – Experiência na Philips
6:56 – Retorno à Progresso
7:12 – Mudança para a Silase
7:26 – Reforma
8:00 – Trabalho na área do desenho de máquinas
9:03 – Feiras internacionais
9:33 – Adaptação dos projetos aos diferentes mercados
10:27 – Materiais
11:11 – Estágio na Oliva
12:27 – Desenho de máquinas
14:00 – Falta de experiência de fabrico dos novos engenheiros
15:05 – Necessidade de relação entre o cliente e o desenhador
15:26 – Moldes para a Fundição
15:48 – Relação com os colegas
16:06 – Chefias
16:39 – 25 de abril de 1974
17:03 – Pais
17:34 – Etapas do trabalho de desenho
18:26 – Fabrico de máquinas de costura
18:37 – Gosto pelo trabalho
18:46 – Filhos
19:17 – Mulher e trabalho na Philips
19:50 – Gosto pelo trabalho
20:26 – Colegas
21:18 – Silase
21:33 – Desafios no trabalho
24:33 – Clientes
25:03 – Disponibilidade permanente e desilusão com a empresa
26:56 – Mudanças e modernização no sector