Domingos Gonçalo

Domingos Gonçalo nasceu em Paradela, onde viveu toda a sua vida, com excepção dos anos em que emigrou para Espanha, França e Angola. Os seus pais eram agricultores, tendo também trabalhado com eles. Frequentou a escola primária na aldeia, tendo tido um desempenho exemplar. Tem memória de espanhóis fugidos da Guerra Civil, que os seus pais ajudavam, com bens alimentares. Em 1965, foi mobilizado para a Guerra Colonial, com 22 anos, tendo lutado em Angola. Em 1968 regressou à aldeia, tendo-se deparado com um enorme fluxo de emigração. Tal como muitos da sua geração, emigrou clandestinamente para França, recordando as dificuldades na passagem das fronteiras. Trabalhou em construção civil, curtumes, fundição, entre outros. Em 1974 volta a Portugal, confrontando-se com as alterações resultantes da democratização, sendo nomeado Presidente da Junta de Freguesia, trabalhando para a melhoria das condições de vida da aldeia e dos seus habitantes.

0:00 – Informação biográfica

0:15 – Emigração

0:26 – Pais

0:43 – Escola

2:12 – Serviço militar obrigatório

2:25 – Guerra Colonial

9:32 – Emigração

12:31 – Casamento

12:50 – Emigração

15:33 – Regresso a Portugal

15:45 – Democratização e cargo político

17:52 – Melhoria das condições da aldeia

18:21 – Água e saneamentos

25:38 – Agricultura

26:05 – Linho

27:22 – Guerra Civil de Espanha

29:15 – Alimentação

29:58 – Moagem

30:55 – Estrume e adubos

32:44 – Trabalho

35:45 – Regresso a Portugal

37:42 – Vida em Portugal

37:59 – Filhos

39:33 – Contrabando

42:23 – Festas tradicionais

44:29 – Eletrificação e telefones

47:14 – Caça e pesca

52:06 – Gastronomia

52:34 – Azeite

53:15 – Batata

53:52 – Rosco (Festas de S. Sebastião)

54:43 – Músicas tradicionais

55:22 – Ligação à aldeia

56:11 – Alterações na aldeia

59:18 – Fundos agrícolas

1:00:01 – Preservação da natureza e do património natural