Deolinda do Campo

Deolinda do Campo é natural e sempre viveu em Rio de Onor. Nascida numa família de sete irmãos, concluiu a então quarta classe. Todos, filhos e pais, trabalhavam na agricultura, na ceifa e na criação de gado. Deolinda começou a trabalhar aos oito anos. Recorda as duras condições de vida, o frio e a rigidez da disciplina escolar. A sua família, no entanto, nunca passou fome. Tem memória dos bailes feitos nas lojas, onde se costumava guardar os animais, aos quais toda a aldeia ia. Recorda todo o processo de produção de linho, que considera muito difícil. Lembra-se de vários espanhóis que fugiam para Portugal, durante a Guerra Civil, e dos confrontos com Carabineiros. Relata a frequência com que os habitantes da aldeia faziam contrabando para Espanha, principalmente de café, mas também de prata, tecidos e chifres de animais. Explica o funcionamento do comunitarismo na aldeia, com partilha de estruturas, animais, terras e trabalho.

0:00 – Diferenças na aldeia

0:35 – Família

1:05 – Agricultura

1:12 – Trabalho

1:37 – Deslocações

2:42 – Feiras

3:32 – Agricultura

3:55 – Pão

4:06 – Alimentação

5:46 – Animais

5:58 – Comunitarismo

6:40 – Pastorícia

7:02 – Escola

9:08 – Calçado

9:56 – Bailes

10:26 – Vestuário

10:41 – Linho

13:13 – Tecelagem

14:07 – Costura

14:21 – Pesca

15:04 – Alimentação

15:30 – Guerra Civil de Espanha

16:00 – Alimentação

16:30 – Guerra Civil de Espanha

21:36 – Fronteira com Espanha

23:23 – Contrabando

25:35 – Hábitos alimentares

26:37 – Pobreza

27:28 – Poder local

29:45 – Justiça

31:21 – Poder local

32:27– Comunitarismo

36:39 – Juventude

37:10 – Músicas tradicionais e bailes

37:35 – Festas tradicionais

41:25 – Música nas festas

41:51 – Divertimentos sociais

42:31 – Festa de Reis/Carnaval

43:57 – Medicina tradicional

46:36 – Trabalho

47:36 – Casamento

48:15 – Trabalho

50:11 – Espanha

51:00 – Emigração

52:45 – Rio onorês, português e espanhol

55:19 – Eletricidade e iluminação

56:14 – Ruas da aldeia

56:52 – Eletrificação

58:08 – Bragança

58:43 – Convívio social

1:00:25 – Bailes

1:00:06 – Rivalidade com Espanha

1:01:46 – Gaiteiros

1:02:34 – Ligação à aldeia

1:02:49 – Agricultura

1:03:43 – Tamancos/Socas