Constantino Nogueira Pereira

Constantino Nogueira Pereira é natural de Castelo de Paiva. Começou a trabalhar muito cedo, aos 14 anos, como sapateiro. No entanto, como o pai era mineiro, Constantino também começou a trabalhar nas Minas do Pejão. Descreve o trabalho nas minas como muito duro e muito mal pago, além do perigo a que os mineiros se sujeitavam.
Por lhe oferecerem melhor salário, aos 16 anos, começou a entrar na Oliva, como rebarbador.
Participou na fundação da U.G.T., apesar de ter abandonado o sindicalismo pouco tempo depois.
Quando a Oliva encerrou, trabalhou como segurança para uma empresa privada durante cerca de 3 anos, até se reformar. Nunca abandonou o ofício de sapateiro, chegando a ter um negócio próprio em que revendia sapatilhas Sanjo. Ainda hoje continua a fazer pequenos trabalhos em casa.
Recorda as condições que a Oliva oferecia aos trabalhadores, como uma cantina com preços com desconto para os funcionários. Afirma só ter boas memórias do tempo que passou na fábrica.

0:00 – Informação biográfica
0:23 – Pai e dureza do trabalho de mineiro
1:07 – Trabalho de mineiro – instrumentos e remuneração
1:37 – Condições de trabalho
2:00 – Trabalho de sapateiro
2:14 – Entrada na Oliva
2:21 – Mãe – doméstica e costureira
2:38 – Trabalho na Oliva
2:49 – Irmão
2:58 – Educação e início da vida laboral – sapateiro
3:28 – Negócio próprio
3:40 – Dureza do trabalho e das condições laborais
4:14 – Oliva
5:33 – Rebarbação
6:12 – Turnos de trabalho
6:25 – Rebarbação
6:54 – Acidente de trabalho
8:22 – Relação com a empresa
8:53 – Saída da Oliva para a profissão de mineiro
9:15 – Minas
10:18 – Melhoria das condições de trabalho e de segurança
10:54 – Dureza e mortes em trabalho
11:27 – Acidente de trabalho
13:44 – Lutas laborais
14:08 – Trabalho como segurança
14:21 – Reforma
14:28 – Greves e sindicalismo
15:00 – UGT e sindicalismo
15:46 – Trabalho de sapateiro
16:34 – Guerra Colonial e serviço militar
18:30 – Trabalho de sapateiro
19:05 – Revenda de Sanjo e oficinas
19:45 – Botas e carteiras
20:16 – Trabalho de segurança privado
21:03 – Importância da Oliva e da Chapelaria Nacional
21:19 – Custo de vida e apoio social (Cooperativas)
22:30 – Cantinas
22:38 – INATEL
22:48 – Equipamentos de lazer
23:05 – Defesa da Oliva