Clementina Alves

Clementina Alves é natural de Talhas. Relembra detalhadamente todo o processo de fabrico de linho, no qual participa desde jovem, com a mãe e a irmã. No entanto, sempre preferiu a costura. Frequentou a escola no concelho de Mogadouro e trabalhou toda a vida entre a costura e agricultura. Relembra os contrabandistas, entre Portugal e Espanha, principalmente de tecidos, mas também de alguns alimentos. Tem memória, também, dos carabineiros espanhóis, que eram temidos pelos contrabandistas. Tem sete filhos, alguns emigrados em França. Recorda as lides domésticas, que incluíam, entre outros, a moagem de farinha e o fabrico de pão, a costura e a lavagem de roupa no rio. Recorda o uso de ervas e pomadas caseiras para fins medicinais.

0:00 – Processo de fabrico de linho

3:12 – Mãe e irmã

3:24 – Tecelagem

5:51 – Escola

6:08 – Costura

6:30 – Contrabando

7:40 – Carabineiros espanhóis

8:50 – Agricultura e gado

9:29 – Casamento

11:01 – Filhos

11:39 – Alimentação

13:28 – Queijos e alheiras

14:38 – Ervas com uso medicinal

14:57 – Pomada caseira

15:37 – Religião e festas tradicionais

16:56 – Enchidos e coalho

18:00 – Lenha

18:11 – Ferreiro da aldeia