Celestino Augusto Meleiro

Celestino Augusto Meleiro é natural de Bemposta, tal como toda a sua família paterna. A sua mãe era espanhola, mas mudou-se para a aldeia. Teve 9 irmãos, passando a família por muitas dificuldades. Assim, Celestino começou a trabalhar muito cedo, com os pais e os irmãos, na agricultura. Frequentou a escola primária da aldeia, tendo concluído a então 4ª classe. Por influência de pessoas da aldeia pensou em ir estudar para o Seminário, mas tal não aconteceu, por necessidade de trabalhar. Recorda a exploração pelos patrões, as duras condições de trabalho e a fome que passava. Para contornar a pobreza começou a caçar coelhos, que vendia em Mogadouro. Mais tarde, apanhou e vendeu carniçós, usados durante a II Guerra Mundial para a produção de LSD. Chegou a fazer contrabando de tabaco para Espanha, recordando os confrontos com os carabineiros. Trabalhou na construção da Barragem da Bemposta e, aos 28 anos emigrou para França, onde trabalhou como soldador e motorista. Sempre voltou à aldeia, pela forte ligação que sempre teve.

0:00 – Pais

0:20 – Pobreza

1:03 – Trabalho

2:13 – Alimentação

3:44 – Trabalho

4:09 – Exploração

7:04 – Trabalho em casa

7:51 – Caça e carniçós (esporão do centeio)

11:05 – Guerra Civil de Espanha

11:48 – Relação com Espanha – Contrabando

12:21 – Passagem da fronteira

13:06 – Pesca

13:53 – Carabineiros

14:35 – Pesca

15:06 – Passagem da fronteira

15:28 – Escola

19:09 – Patrões

20:23 – Brincadeiras e episódios de infância

27:42 – Chocalheiros

29:13 – Serviço militar

41:41 – Trabalho na construção da Barragem da Bemposta

43:34 – Emigração

44:10 – Resultados da construção da Barragem de Bemposta

46:10 – Expropriação de terras para a Barragem

46:58 – Emigração para França – Passagem da fronteira

48:59 – Vida em França

55:04 – Condições de trabalho em França

57:06 – Trabalho como motorista em França

58:58 – Retorno a Portugal

59:11 – Ligação à aldeia

59:29 – Mudanças na aldeia

1:00:31– Habitação

1:01:49 – Pedreira

1:02:29 – Melhorias nas condições de vida