Casimiro Cruz Lemos

Casimiro Cruz Lemos é natural de Esposende.
Cumprido o serviço militar, em 1960, começou a trabalhar na Oliva, no sector das máquinas de costura. Mais tarde passou para a cronometragem, serviço no qual conheceu todos os sectores da fábrica.
Explica, ao pormenor, o trabalho na fundição e as dificuldades e falta de equipamentos de proteção dos funcionários, bem como o trabalho na cronometragem, que era alvo, frequentemente, de tentativas de fraude por alguns funcionários.
Formou-se em vários cursos oferecidos pela empresa, entre os quais o de Métodos, de Encarregado de Trabalho, de Manutenção de Trabalho, Classificação de Trabalho e Cuidados de Trabalho.
Lamenta o abandono da produção das máquinas de costura, após a compra da Oliva pela ITT.
Recorda os equipamentos de apoio e convívio de que os funcionários da empresa dispunham, como um orfeão, uma banda musical e uma cooperativa de consumo.
Chegou a ser diretor do Centro da Oliva.
Vê como muito positiva a preservação e musealização da fábrica da Oliva, em particular, e das várias instalações industriais, no geral.

0:00 – Informação biográfica
0:34 – Serviço militar
1:24 – Sectores de produção – Oliva
4:02 – Aprendizagem do ofício
5:57 – Divisão do trabalho
6:40 – Cabeça das máquinas de costura
10:46 – Diferenças entre o sector de máquinas de costura e o de torneiras 11:43 – Produtividade
12:15 – Prémios de produtividade
12:32 – Trabalho de equipa
13:16 – Horários de trabalho
14:21 – Orfeão e peças de teatro
16:43 – Banda musical e venda de acordeões
18:42 – Centro da Oliva
20:37 – Trabalhadores e envolvimento no Centro da Oliva
21:57 – Saída da Oliva
23:10 – Banda musical Oliva
23:55 – Desporto
24:25 – Centro da Oliva
25:14 – Cooperativa de habitação e consumo
29:21 – Abandono da produção de máquinas de costura e compra pela ITT 30:47 – Declínio da Oliva
32:44 – 25 de Abril de 1974 e sindicalismo
36:11 – Alterações na produção
41:56 – Acidentes de trabalho
42:13 – Abandono da produção de banheiras
42:45 – Cooperativa de habitação
43:23 – Torneiras
44:39 – Mobilidade e trabalhadores externos
45:39 – Musealização
46:21 – Estruturas de apoio aos funcionários
47:30 – Cooperativa de habitação e consumo
49:02 – Mulheres na força de trabalho
51:06 – Máquinas
51:49 – Matéria-prima
52:45 – Educação
55:31 – Matéria-prima
1:00:29 – Perfil dos trabalhadores