Carmen Pires

Carmen Pires nasceu em Constantim e a primeira vez que passou a fronteira foi com a sua mãe. Com ela, e com uma outra senhora chamada Pureza/Pura, aprendeu os truques para fugir às guardas (Fiscal e Civil) e os caminhos. Fez do contrabando a sua atividade principal, complementando o trabalho agrícola e algum gado de que se ocupava o marido. Chegava a percorrer mais de 20 a 30 kms de distância em território espanhol, distribuindo os produtos que trazia de Portugal. Trabalhou em conjunto com Felisbina Fernandes (SCP0036), orgulhando-se de levar mais produtos que os homens e de vender mais – era conhecida em toda a raia espanhola.

00:00 – Contexto familiar

00:12 – Formação escolar

02:27 – Travessia da fronteira com a mãe

02:57 – Produtos contrabandeados

04:50 – Mulheres contrabandistas

07:54 – Percursos usados

10:12 – Relação com os comerciantes espanhóis; formas de contacto

12:35 – Aquisição e distribuição de mercadorias

15:25 – Grupos de mulheres contrabandistas

16:25 – Relação com a Guarda Fiscal

16:44 – Mercadorias com autorização de circulação, com “despacho”

17:36 – Passagem da mercadoria

18:54 – Mercadoria perdida e apreendida

20:21 – Abandono da atividade

20:41 – Contrabando de gado (ovelhas)

21:18 – Passagem “a salto”; passadora

23:26 – Relação com a Guarda Fiscal; técnicas de dissimulação

24:28 – Encontros entre a Guarda Fiscal e os contrabandistas

26:05 – Envolvimento dos habitantes da aldeia na atividade

26:40 – Festas em Espanha

29:46 – Alimentação em Espanha

30:31 – Contrabando e consumo de polvo

32:18 – Consumo de peixe do rio

32:44 – Produção agrícola

33:04 – Trabalho nas minas

33:26 – Viagens com a mãe

34:15 – Diferenças entre homens e mulheres contrabandistas