António Pimenta de Castro

António Manuel Pimenta de Castro é natural de Arcos de Valdevez, professor e historiador. Reflete sobre a permeabilidade da fronteira e sobre o seu significado. Recorda as condições de vida das populações da raia e explica como estas motivaram a prática do contrabando, salientando as dificuldades inerentes a essa atividade. Reflete também sobre as relações entre portugueses e espanhóis e como se diferenciavam no norte e no sul do país, conhecimento que aprofundou pelo facto de ter lecionado em Sendim e em Beja.

0:00 – Relação com Espanha e contrabando

0:47 – Alfaiates e contrabando de “pana”

1:27 – Produtos contrabandeados

1:45 – Trocas comerciais entre Portugal e Espanha

2:16 – Guarda fiscal e guarda rios

2:38 – Relação com Espanha e permeabilidade da fronteira

3:41 – Condições de vida e motivações do contrabando

6:28 – Passagem de fronteira para prática de contrabando

6:35 – Guarda fiscal

7:16 – Significado da passagem da fronteira

8:12 – Relação com Espanha

8:40 – Informação biográfica

9:13 – Diversidade linguística

10:24 – Condições de vida e motivações do contrabando

11:45 – Despovoamento do interior e rede viária

13:14 – Guarda fiscal, PIDE e informadores

14:23 – Dificuldades e perigos do contrabando

15:25 – Passagem da fronteira “a salto”

16:58 – Zonas de passagem na fronteira e estratégias usadas

18:41 – Construção das barragens

19:11 – Condições de vida e motivações do contrabando

19:58 – Experiência de prática de contrabando

21:08 – Produtos contrabandeados

22:13 – Venda dos produtos contrabandeados

22:25 – Experiência de prática de contrabando

23:40 – Relação com Espanha: diferenças entre norte e sul do país

25:41 – Barragens

25:53 – Guarda civil

26:04 – Relação com Espanha: contactos e diversões

26:53 – Contrabando: moeda e alimentação

27:36 – Emigração e papel das mulheres

28:34 – Tradições no Minho

29:32 – Exploração de minério