António dos Santos Vilar

António dos Santos Vilar é natural de Talhas, tal como toda a sua família. Começou a trabalhar muito novo, com os irmãos, na agricultura e pecuária. O seu pai era pedreiro. Recorda as más condições de vida e de trabalho por que passou. Trabalhou 37 anos no Lagar da aldeia, depois de trabalhar com o pai, como pedreiro. Assim, recorda o processo de produção de azeite. Já adulto, conseguiu comprar gado próprio, que lhe dava algum rendimento. Teve quatro filhos, tendo três emigrado para França. Todos estudaram, na escola da aldeia. Recorda as festas da aldeia e a Procissão tradicional. Recorda o contrabando feito com Espanha, principalmente de alimentos (ovos) e objectos do quotidiano. Teve várias oportunidades de emigrar, principalmente para França, mas nunca o fez por amor e ligação à aldeia.

0:00 – Informação biográfica

0:14 – Trabalho

0:38 – Pais

1:16 – Trabalho

1:38 – Más condições de vida

1:58 – Trabalho no Lagar

2:31 – Condições de trabalho

3:34 – Gado

4:44 – Más condições de trabalho

5:02 – Filhos e emigração

5:56 – Festas tradicionais

6:42 – Casamento

7:32 – Família

7:42 – Educação dos filhos

9:25 – Emigração

10:52 – Contrabando

11:37 – Macedo de Cavaleiros

11:56 – Serviço Militar

12:26 – Guerra Colonial

13:27– Trabalho no Lagar

14:42 – Produção de azeite

15:22 – Corte de cortiça

17:06 – Trabalho no Lagar

18:07 – Reforma

18:30 – Agricultura

18:37 – Ceifa

20:07 – Deslocações e mobilidade

20:50 – Televisão

21:32 – Ligação à aldeia

22:31 – Trabalho

24:15 – Reforma

24:52 – Pesca no rio