Amadeu Canastra

Amadeu Canastra nasceu em Urros em 1932, onde permaneceu toda a sua vida. Dedicou-se ao pastoreio de ovelhas desde muito jovem. Não participou diretamente na atividade do contrabando, mas conhecia quem se envolvia e sabia quais eram os percursos e como se fazia, lembrando-se de alguns acidentes. Um dos irmãos, alfaiate na aldeia, trabalhava com tecido proveniente de Espanha e introduzido via contrabando – a pana ou bombazina, que chegou a ver apreendida pela Guarda Fiscal no seu estabelecimento. A sua filha guarda algumas travessas em esmalte que tinham pertencido à sua mulher, que as terá comprado a contrabandistas, por serem mais baratas e de melhor qualidade.

00:00 – Vida na aldeia

00:17 – Contexto familiar

01:48 – Pastorícia

02:22 – Principais feiras da região

03:34 – Caracterização da atividade de pastor e do sistema de usufruto dos terrenos

07:54 – Produção e venda de queijo

08:43 – Principais raças de gado

09:45 – Contexto familiar

09:56 – Festa de São Apolinário

10:35 – Alimentação

11:00 – Consumo e distribuição de peixe

12:22 – Distribuição das pipas de vinho

13:21 – Mudança para Lisboa

13:53 – Principais destinos de emigração dos habitantes da aldeia

14:57 – Sistema de fabricação de pão – moinhos e fornos

16:43 – Alfaiataria do irmão – utilização da pana proveniente do contrabando

19:08 – Episódio entre o irmão alfaiate e a Guarda Fiscal

21:18 – Episódios com contrabandistas em Barca d’Alva

22:03 – Percursos utilizados e sistema de passagem do rio

22:56 – Acidentes na passagem do rio

24:29 – Caracterização da vida de contrabandista

25:14 – Passagem do rio

26:30 – Utilização de cavalos na passagem do rio

26:49 – Construção das barragens

27:44 – Vida na aldeia