A carregar...

ENTREVISTAS


Entrevistas:
Fernando Dias Pinho
Data da entrevista:
17-01-2020, Santa Casa da Misericórdia São João da Madeira
Projeto:
Resumo:
Fernando Dias Pinho sempre gostou de estudar e de ler, embora tenha abandonado a escola muito cedo, por ter de ajudar os pais e os irmãos. Assim, começou a trabalhar na fábrica da Fabrinca, de brinquedos, em São João da Madeira. Depois, trabalhou numa fábrica de máquinas de petróleo e na fábrica da Cormache, onde eram fabricados candeeiros. Mais tarde, em 1955, começou a trabalhar na fábrica da Oliva, onde também trabalhava o seu pai, um irmão e uma irmã. A mãe trabalhava na Cortadoria Nacional do Pêlo e a sua mulher na Chapelaria Nacional. Recorda as duras condições de trabalho, nomeadamente a inalação de gases e pós prejudiciais à saúde. Recorda os colegas da fábrica e o convívio durante as horas de trabalho. Tem memórias da onda de emigração durante as décadas de 1960 e 1970, durante as quais emigrou para França. Descreve as condições de vida na zona de São João da Madeira e os hábitos de alimentação. Considera que a indústria de São João da Madeira em geral, e a Oliva em particular, possibilitaram a modernização da área a melhoria das condições de vida da população.
Ficha Técnica
Inês Filipa Abreu de Castaño [Entrevistador]
Fernando Dias Pinho [Entrevistado]
Projetos
Entidades