ENTREVISTAS

Título:
Memórias da Indústria | Francisco Pinho Matos
Resumo:
Francisco Pinho Matos é natural de São João da Madeira e sempre trabalhou na indústria do calçado, passando da produção ao comércio. Recorda a dureza do trabalho dos sapateiros e problemas de postura e de calos que todos sofriam. Foram esses os motivos que levaram o seu irmão a começar a trabalhar na Oliva, onde fico até à reforma. Considera que a abertura da fábrica significou, por um lado, uma inovação na cidade e, por outro, um fator de prestígio para os seus trabalhadores. Francisco começou a trabalhar aos 13 anos, com o pai, sapateiro, e a irmã, gaspeadeira. O pai também trabalhou no cinema de São João da Madeira, Cineavenida, um dos primeiros da zona, uma vez que o trabalho de sapateiro era muito inconstante e mal pago. Relata que, para receber o salário, qualquer trabalhador, independentemente da idade ou do posto, tinha de usar chapéu ao se apresentar à fábrica. Já adulto, com 33 anos, Francisco abriu um negócio próprio de venda de material de calçado, como pregos, colas, peles e solas. A loja vendia tanto para sapateiros privados como para pequenas empresas familiares e grandes fábricas do sector. Francisco sempre gostou do seu trabalho e do contacto com as pessoas e afirma que, se voltasse atrás, voltaria a fazer a mesma carreira.
Data da entrevista:
17-01-2020
Local da entrevista:
Torre da Oliva, São João da Madeira
Ficha Técnica:

Ana Carina Gerardo da Silva Azevedo [Entrevistador]

Francisco Pinho Matos [Entrevistado]

A carregar...

Memória para todos® - Todos os direitos reservados
in web Acesso online ao Acervo Artístico. Sistemas do Futuro