Quiosque do Bairro Azul

Maria da Conceição Henriques, natural de Castelo Branco, está no Quiosque do Bairro Azul há 25 anos, tendo-o herdado da sua sogra e do seu marido. Viveu sempre na Rua Fialho de Almeida.
Não havendo entrega de jornais pelos fornecedores, estes eram recolhidos pelos vendedores, todas as manhãs, no Bairro Alto.
Vivendo no Bairro Azul, recorda o sentimento de “aldeia” que o caracterizava.
Relata as alterações no padrão de negócio, considerando que a venda de jornais e revistas baixou drasticamente desde a década de 1990, principalmente devido à leitura na Internet.

0:00 – Herança do Quiosque
0:27 – Naturalidade dos primeiros donos
0:46 – Vinda e início da vida em Lisboa
1:00 – Localização original do Quiosque
1:20 – Recolha dos jornais no Bairro Alto.
1:40 – Principais títulos vendidos
2:20 – Mudanças na vivência do Bairro Azul
2:50 – Factores de mudança do Bairro
4:20 – Mudanças no negócio
5:06 – Alterações causadas pelo Metropolitano
6:14 – Alteração no volume de jornais e revistas vendidos
6:51 – Imprensa internacional
7:05 – Impacto da imprensa online
7:52 – Clientes marcantes

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

barra-de-logos-memoria

Deixe uma resposta