Maria Teresa Gomes Ferreira

Maria Teresa Gomes Ferreira nasceu em 1925, em Lisboa. Estudou no Liceu Maria Amália e cursou românicas na Universidade de Lisboa. Nessa altura realizou um estágio no Museu de Arte Antiga com o Dr. João Couto, tendo frequentado o curso de Conservador de Museus nesse mesmo local. Teve uma breve experiência profissional como conservadora na Câmara Municipal de Lisboa, concorrendo depois a um lugar como conservadora no futuro Museu da Fundação Calouste Gulbenkian, onde trabalhou até à sua reforma. Relata a sua experiência profissional no estudo e preparação da colecção e construção do museu, a relação com a equipa e o administrador, o Dr. José de Azeredo Perdigão. Recorda ainda os danos causados na colecção aquando das cheias de 1967.

00:00 – Informação biográfica

00:31 – Fundação Calouste Gulbenkian

01:13 – Percurso Escolar

02:29 – Liceu Maria Amália Vaz de Carvalho

03:48 – Mocidade Portuguesa

04:59 – Frequência da Faculdade

05:58 – Formação das irmãs

06:45 – Frequência da Faculdade

07:18 – Interesse pela cultura e arte

07:34 – Frequência e emprego no MNAT

08:20 – Curso de Conservação de Museus

08:51 – Emprego como Conservadora na CML

09:22 – Integração na equipa de Conservação da FCG

10:20 – Curso de Conservação de Museus

11:33 – Interesse pela cultura e artes

12:46 – Instalação da colecção Gulbenkian

13:44 – Dificuldade da transferência da colecção

16:09 – Impacto da Fundação no território e na cultura nacional

18:28 – Criação do Serviço Educativo

19:40 – Relação com ICOM e trabalho com Georges Henri Rivière

20:40 – Noção de elite no meio da museologia

22:10 – Impacto do Museu no contexto nacional

22:50 – Exposições itinerantes (Porto, Braga)

23:35 – Bolsas de Estudo FCG e relação com Arte Moderna

24:31 – Dr. Azeredo Perdigão — “Um homem das 1000 ideias”

26:14 – Direcção da Fundação antes e após a Revolução de 25 de Abril de 1974

26:52 – Centro de Arte Moderna/Polémica com a Colecção Gulbenkian

29:05 – Reforma e trabalhos posteriores

29:57 – Vida familiar e o papel da mulher na museologia

31:09 – Retrospectiva sobre a FCG — “Era uma casa grande”

31:24 – Planificação e inauguração do Museu — “Quando se abriu a porta foi um alívio”

33:16 – Constituição do Serviço Educativo e formação na área dos estudos de arte

35:19 – Programação de exposições

35:39 – Inundações nas instalações de Oeiras

37:17 – Abertura do Museu da Fundação

37:55- Relação com espaço envolvente e entre os sectores da FCG

38:48 – Abertura da FCG ao contexto nacional e impacto