Maria Margarida Silva e Castro

SINOPSE

Maria Margarida Silva e Castro nasceu em Lisboa, enquanto a sua família vivia na clandestinidade, uma vez que os seus pais pertenciam ao Partido Comunista Português.
É sobrinha de Pedro Soares e Maria Luísa Costa Dias, tendo as cartas sobre a sua fuga do Forte de Peniche, com Álvaro Cunhal.
Tirou o curso de agronomia no Instituto Superior de Agronomia. Foi, depois, para Angola, em 1967, onde viveu até 1975, ano em que foi para o Brasil.
Recorda a guerra entre os movimentos de independência angolanos e todo o processo de retorno dos portugueses.
Recorda vários episódios da Guerra, particularmente os contactos com o MPLA.
Recorda a vigilância constante da PIDE sobre todos os cidadãos, em geral, e sobre si, devido à actividade política da família.
Considera que a Revolução dos Cravos era algo inevitável e desejável, embora tenha em consideração as pessoas que, tal como ela, perderam a vida que tinham construído com a descolonização.

0:00 – Infância na clandestinidade
1:05 – Formação em Agronomia
1:19 – Ida para Angola
2:11 – Guerra entre os movimentos de independência angolanos
3:12 – Contactos com o MPLA
4:06 – Guerra em Luanda
8:12 – Contactos com o MPLA
9:15 – Início da transição para Portugal
9:28 – Revolução de 25 de Abril de 1974
10:11 – Vigilância da PIDE
11:40 – Visão sobre a Revolução
12:59 – Pedro Soares e Maria Luísa Costa Dias

Deixe uma resposta