Ivone Cunha

SINOPSE

Nasceu a 27 de Setembro de 1928, no rescaldo de uma das revoltas “reviralhistas” contra a Ditadura Militar. Recorda, através das memórias da mãe, os revoltosos barricados do lado de lá da linha de comboio e a longa travessia pela Azinhaga da Torrinha, até chegar a casa, poucas horas antes do parto.

Lembra-se das brincadeiras na rua, com as outras crianças do Bairro. Por só brincar com os rapazes, mudou-se para a Rua Cristóvão Figueiredo, onde viveu até aos 27 anos. Lembra-se dos estabelecimentos do Bairro que já não existem e ia várias vezes ao Cinema Bélgica e à Feira Popular, assistindo, depois, à construção da Gulbenkian. Recorda, também, a construção das “casas de barracas”.

A sua vida escolar foi marcada por uma enorme violência, o que a levou à desistência. Foi trabalhar, com a irmã, no alfaiate da Avenida Miguel Bombarda dos 11 aos 22 anos, onde aprendeu o ofício de costura. Daí, foi trabalhar para outro alfaiate no Intendente durante 3 anos e depois para a Rua Ponta Delgada, onde trabalhou até se casar aos 27 anos, na Igreja de Nossa Senhora de Fátima.

FICHA DE ENTREVISTA

Entrevistado: Ivone Cunha
Entrevistador: Luísa Seixas, Sofia Diniz, Ana Francisca Bernardo, Marta Galvão Teles
Edição de vídeo: Ana Francisca Bernardo
Data da entrevista: 27 de junho de 2016

Deixar uma resposta