Álvaro Malta

Álvaro Malta teve o primeiro contacto com a música aos 6 anos, a tocar bandolim. Mais tarde, no Seminário dos Olivais, começou a estudar música sacra e canto gregoriano, onde teve o primeiro contacto com a ópera, com a obra “Sicília”.
Estudou canto de ópera com uma professora do Conservatório de Lisboa, com alunos do coro do TNSC, que integrou mais tarde, chegando, em 1950, a cantar em todos os espectáculos da época.
Colaborou também com o maestro Pedro de Freitas Branco, na estreia da ópera “Salomé” (1953) de Strauss.
Foi mobilizado para a Guerra Colonial em Janeiro de 1966, mas a ida foi adiada para Maio do mesmo ano por ir participar na obra “Fausto”.
Tirou o curso de Medicina em Lisboa, tendo financiado os estudos com o seu trabalho no TNSC. Exerceu medicina na Maternidade Alfredo da Costa, profissão que sempre conciliou com a ópera.
Cantou com Maria Callas, em 1958, na Ópera La Traviata, e actuou no Irão, nas óperas “Werther” e “Falstaff”.
Integrou o Grupo Experimental de Ópera de Câmara, apoiado pela Fundação Calouste Gulbenkian, do qual destaca a ópera “Arlecchino”.
Terminou a carreira com uma ópera do maestro Joly Braga Santos, no TNSC.

 

0:00 – Primeiro contacto com a música
1:27 – Ingresso no Seminário dos Olivais
2:08 – Primeiro contacto com a ópera
2:48 – Início da formação em ópera
3:54 – Ingresso no coro do TNSC
9:46 – Trabalho com o mestre Rui Coelho
10:00 – Estreia na Ópera
10:12 – Ópera “Salomé”
13:45 – Participação no filme “Primo Basílio”, de António Lopes Ribeiro
15:18 – Mobilização para a Guerra Colonial
16:10 – Adiamento na mobilização por participação no “Fausto”
21:35 – Ida e experiência na Guerra Colonial
23:02 – Curso de Medicina
23:33 – Medicina e Ópera
25:06 – Maria Callas em Lisboa
30:06 – Actuações no Irão
34:00 – Relação com o Teatro da Trindade
34:37 – Alterações nos teatros após a Revolução de 25 de Abril de 1974
38:28 – Capacidade de adaptação e improviso em palco
44:53 – Último espectáculo no TNSC
46:11 – Saída do TNSC
48:17 – Ópera “O Barbeiro de Sevilha”, encenada por Tito Gobbi
53:07 – Aprendizagem de teatro e representação
57:08 – “Requiem pela alma dos fascistas mortos em Portugal”, de Fernando Lopes Graça
1:01:00 – Grupo Experimental de Ópera de Câmara
1:04:02 – Término da carreira como cantor lírico
1:08:19 – Última ópera
1:14:44 – Óperas preferidas
1:17:08 – “D. Quixote”
1:17:47 – Público de produções líricas

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

Deixe uma resposta